Início > Atualidades, Economia > Eu não entendo mais nada…

Eu não entendo mais nada…


 Cada vez mais fica complicado ler notícias no Brasil. Não sei se a qualidade dos jornalistas piorou, ou outro motivo. Exemplo? Reportagem do site Terra:

FGV: nova classe média é o “Pelé” do crescimento brasileiro

(…)o aumento da nova classe média – que engloba as rendas A, B e C – foi um dos motores do crescimento entre 2003 e 2008 e também durante a crise financeira – um desempenho comparável ao maior craque do futebol nacional.

Mais no final da matéria a jornalista diz:

Entretanto, de janeiro de 2009 a setembro de 2009 as classes AB e C (nova classe média) cresceram separadamente para chegar a um total de crescimento de 1% da classe ABC, chamada de “nova classe média”.

Veja a confusão. Em apenas um parágrafo, a jornalista fala que a classe C é a nova classe média, uma linha após dizer que a classe ABC é chamada de “nova classe media”.

Que mixórdia! Qual será a “nova classe média” real? A classe C ou a classe ABC? Parece-me muito estranho juntar três classes de renda e chamar de “nova classe média”. O artigo foi oriundo de um trabalho realizado pelo Marcelo Neri da FGV. Trabalho muito bom, diga-se de passagem. Porém, para salvar um pouco a jornalista, ele induz a esse estranho conceito de “nova classe média”.

Talvez o motivo seja apresentado pela reportagem da Folha de São Paulo:

Crise faz classe média encolher em 2009 pela 1ª vez em seis anos

A crise econômica brecou o avanço contínuo que a classe media vinha registrando desde 2004, revela estudo divulgado nesta quarta-feira pela FGV (Fundação Getúlio Vargas) baseado na Pesquisa Mensal de Emprego, que avalia dados das seis principais regiões metropolitanas do país –São Paulo, Rio, Belo Horizonte, Salvador, Recife e Porto Alegre.

Aparentemente, para o declínio da classe média e o aumento da classe A e B não ficar aparente Neri juntou as classes A, B e C e chamou de “nova classe média”. Qualquer estatístico, qualquer matemático, qualquer economista pode atestar que isso não existe. Há um motivo para que as classes sejam diferenciadas, há um método para isso. O que não dá é para passar por cima de tudo isso para que um movimento nas classes seja mascarado. Não consegui sinceramente encontrar um motivo para isso.

Se alguém conseguir, por favor, me explique.

Anúncios
  1. guimas
    fevereiro 11, 2010 às 5:51 pm

    Cruzes. Tá difícil ler reportagem mesmo.

    Numa delas se cria uma classe”ABC” que tem valor um estatístico desprezível.

    Na outra, faz-se uma manchete que dá a entender que as pessoas empobreceram. Na matéria, os dados mostram que provavelmente a classe C subiu para A e B e por isso diminuiu. O que pode ter acontecido é uma diminuição do movimento da D para a C.

    Mas concordo. Tá meio ruim o nível de certas reportagens por aí.

  2. Microempresário
    fevereiro 11, 2010 às 5:56 pm

    Acho que a explicação é simples: BURRICE (caixa alta, negrito, sublinhado, piscante).

    O único “conhecimento” matemático que este nível de jornalista tem é o de procurar números escandalosos. O significado destes números, ele não sabe nem quer saber, e presume que seus leitores também não.

  3. iconoclasta
    fevereiro 11, 2010 às 7:35 pm

    o Pablo, vc sabe o motivo do estudo do Neri partir de 2003?

    ;^/

    • vilarnovo
      fevereiro 11, 2010 às 7:56 pm

      Eu entendi sua pergunta. Não sei sua resposta. Estou fazendo um enorme esforço para não encontrar você sabe o que no estudo dele…

      Deixa prá lá.

      😉

  4. eu nao sei se roma é uma democracia
    fevereiro 21, 2011 às 3:20 pm

    olha aq um de vcs sabe se roma era uma democracia ? eu nao sei , entao
    um de vcs pode me ajudar … POR FAVOR !!!

    muito obrigado

    • vilarnovo
      fevereiro 23, 2011 às 5:40 pm

      Roma, pelo que sei, nasceu como uma república onde havia voto universal, ou seja, algumas castas da sociedade podiam votar, outras não. Foi a partir de Julio César que derrotou Pompeu, que nasceu o Império Romano, sendo ratificado com a proclamação de Otaviano (parente de Júlio César) com o título de Augusto.

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: