Início > Atualidades > Rapidinhas

Rapidinhas


Fundo do Poço

Quando o Ministro da Educação de um país afirma que é certo ensinar gramática errado nas escolas sabemos que chegamos ao fundo do poço. Interessante é que até agora não vi nenhum pronunciamento da UNE e da UBES. Chapa Branca pura.

Código Florestal

Alguém realmente acredita que o governo “quer votar o Código mesmo se for para perder”? O governo do PT QUER esse código, está de acordo com ele. Só tem que PARECER não estar de acordo para que não perca mais votos dos verdes que já perdeu para Marina Silva. É puro jogo de cena, coisa que o PT faz e muito bem.

DSK

Caros franceses: uma coisa é ter obsessão pela vida sexual alheia, coisa que os americanos realmente têm. Outra, completamente diferente, e passar a mão na cabeça de alguém acusado de estupro.

Suécia

E o PM da Suécia está no Brasil para falar com a Dilma. A entrevista dele no Valor é muito boa. Que inveja dos suecos, primeiramente por causa das suecas…

Sérgio Cabral

Prezado Governador: sou totalmente solidário aos gays pleitearem seus direitos. Sou um dos que acreditam que racismo parte primeiramente do Estado, então não deve impedir que casais do mesmo sexo não tenham os mesmos direitos garantidos na constituição de casais de sexos diferentes. Sou até mesmo favorável a adoção de crianças por casais gays. Agora permitir que policiais e bombeiros estejam em manifestações utilizando veículos das corporações é total falta de noção do que é público e privado. Não tem absolutamente nada a ver com direitos dos gays de manifestarem. Aposto que até mesmo os gays acham esse uso privado de um bem que deveria estar a serviço de TODOS um absurdo. Sei que o senhor está tentando trilhar o caminho populista do Lula, mas por favor, menas OK?

Obs.: Todos os erros de portugês contidos no post foram endossados pelo Ministério da Educação.

Anúncios
  1. maio 24, 2011 às 5:37 pm

    Olá!

    Vilarnovo, uma pergunta para você:

    A esquerda brasileira se diz admiradora do modelo social-democrata escandinavo e tal, você acha que essa mesma esquerda apoiaria e/ou implementaria as medidas econômicas que tornam possível a ordem social escandinava?

    Gostaria de saber o seu comentário a respeito.

    Até!

    Marcelo

    • vilarnovo
      maio 26, 2011 às 8:37 pm

      Marcelo,

      O único aspecto que a esquerda brasileira encherga na social democracia escandinava chama-se impostos. Mesmo antes dessas implementações realizadas, não só na Suécia mas em outros países escandinavos, estes já encontravam-se no topo do ranking de liberdade econômica. No ranking de 1997/1998 Luxemburgo e Holanda estavam empatados no 9º lugar, Dinamarca em 12º, Bélgica em 14º, Finlândia em 18º, a Noruega em 22º e a Suécia e Islândia em 25º. Em comparação, neste ranking, o Brasil ocupava a 85ª posição de um total de 123 países.

      Há um caminhão de medidas liberais que esses países sempre tiveram (fiscais, tributárias, legais e etc) que nunca foram e nunca serão adotadas pela esquerda brasileira que é calcada no corporativismo. Então ela utiliza a alta carga tributária escandinava como se ela fosse o único motivo do bem estar social daqueles países. Não é. Devemos incluir a liberdade de comércio, ou seja, acabar com as taxas pornográficas de 60% para comprar um produto importado por exemplo. Esses países nunca brincaram com a inflação, nenhum político vai dizer que “ter inflação é bom para o crescimento” entre outras.

  2. maio 28, 2011 às 7:17 pm

    Olá!

    Obrigado pelo comentário, Vilarnovo.

    Você tem uma opinião muito próxima da minha nesse caso. A esquerda brasileira não tem interesse nenhum em implementar as medidas economicamente liberalizantes que tornam possível a ordem social da Escandinávia. Apoiar tais medidas, deixaria a esquerda local sem pilares importantes da sua base do apoio, que é, como você bem observou, essencialmente corporativista.

    Um outro ponto que gostaria de saber a sua opinião tem a ver com o índice de liberdade econômica da Heritage Foundation. É estranho observar que, mesmo após a enxurrada de dólares que o banco central americano jogou no mercado, o índice de liberdade econômica dos Estados Unidos se manteve praticamente estável. Eis uma série histórica:

    1995 . . . 76.7 . . . United States
    1996 . . . 76.7 . . . United States
    1997 . . . 75.6 . . . United States
    1998 . . . 75.4 . . . United States
    1999 . . . 75.5 . . . United States
    2000 . . . 76.4 . . . United States
    2001 . . . 79.1 . . . United States
    2002 . . . 78.4 . . . United States
    2003 . . . 78.2 . . . United States
    2004 . . . 78.7 . . . United States
    2005 . . . 79.9 . . . United States
    2006 . . . 81.2 . . . United States
    2007 . . . 81.2 . . . United States
    2008 . . . 81.0 . . . United States
    2009 . . . 80.7 . . . United States
    2010 . . . 78.0 . . . United States
    2011 . . . 77.8 . . . United States

    Média. . . 78.2

    De 2008 até 2010, auge da recente crise, houve uma queda de apenas 3 pontos.

    A enxurrada de dólares não deveria ter reduzido pelo menos razoavelmente o índice de liberdade econômica dos Estados Unidos? Jogar tantos dólares no mercado representa uma redução da liberdade econômica?

    Até!

    Marcelo

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: