Arquivo

Archive for the ‘Mudanças Climáticas’ Category

A única coisa que está aumentando é a falta de vergonha na cara

junho 30, 2011 1 comentário

Notícia publicana no Blog “Eco Verde” do “O Globo”:

Ano de 2010 foi o 2º mais quente desde o século XIX

O ano de 2010 foi o segundo mais quente desde o final do século XIX, segundo indica um relatório da Agência Atmosférica e Oceanográfica americana (NOAA), o que confirma o aquecimento do planeta.

A temperatura média da Terra foi, em 2010, cerca de 0,62 grau mais quente do que a média do século XX. O ano 2010 se situou, assim, atrás de 2005, considerado o ano mais quente desde que as temperaturas começaram a ser registradas em 1880.

Vários fenômenos meteorológicos sazonais muito conhecidos, como El Niño, uma corrente quente, tiveram uma influência considerável sobre o clima durante todo o ano, segundo os autores do estudo.

Este informe anual, realizado em coordenação com a Sociedade Americana de Meteorologia (AMS), é uma recompilação de observações e medidas feitas por 368 cientistas em 45 países. (Fonte/ G1)

Os negritos são meus. No primeiro parágrafo já há a sentença: confirmaram que o planeta está aquecendo. Mais embaixo afirmam que o aquecimento se deu por um motivo bastante conhecido e SAZONAL que foi o El Niño.

Será que não há uma mente iluminda para perceber que uma coisa impede a outra. Se algo é sazonal não pode confirmar a tese do aquecimento global. Ou seja, segundo a própria matéria, quando a sazonalidade passar, ou seja, o fenômeno do El Niño ir embora, as temperaturas irão cair. Como de fato já aconteceu pós 1998.

Outra coisa que é feita apenas para enganar. O ano mais quente de todos foi o de 1998, depois as temperaturas médias cairam bastante conforme o gráfico abaixo. O que vai de encontro com o que foi noticiado (que o ano de 2005 teria sido o mais quente).

Isso acontece pois existe vários tipos de medições para chegar a uma conclusão. Mistura vários dados de fontes que chama de “independentes”. Pois bem, costumo acompanhar as mudanças de temperatura medidas por satelites. Porque para mim são mais confiáveis do que colocar termômetros ao lado de aparelhos de ar-condicionado.

It´s so wrong...

 

Anúncios

Omo lava mais branco…

novembro 18, 2010 7 comentários

Há algum tempo que eu não escrevo nada sobre o tema Aquecimento Global / Mudanças Climáticas. Mas ao ler a reportagem do jornalista Marcelo Leite da Folha de São Paulo não pude resistir.

A matéria comenta sobre uma entrevista que o jornalista afirmou ser “reveladora” do Sr. Phil Jones à revista Nature. Para quem não conhece, Phil Jones era o cientista responsável pelo CRU (Climatic Research Unit), unidade de pesquisas sobre o Clima da Universidade de East Anglia no Reino Unido. O Sr. Jones foi o pivô do escândalo denominado Climategate quando emails foram vazados para a imprensa demonstrando a forma de atuação do Sr. Jones e colegas nas questões científicas quanto ao Aquecimento Global /Mudanças Climáticas.

A reportagem pareceu bastante com as que o Sr. Jones mandava jornalistas fazerem como foi demonstrado nos emails.

Primeiramente o jornalista usa o artifício de chamar a entrevista à Nature como “reveladora”. Opa! Quem lê já acha que vai encontrar algo fabuloso a seguir. Ledo engano. Começa o jornalista:

“Acusado de manipular e ocultar dados e de distorcer a ciência ligada ao aquecimento global, a partir de e-mails furtados por hackers dele e de seus colegas, Jones foi inocentado.”

Primeiramente já é tido como certo que os emails não foram hackeados por algum malvado gênio do computador e sim por alguém de dentro da própria instituição. O fato de um jornalista da BBC  afirmar que já possuía esses emails bem antes de serem divulgados corrobora essa teoria. Mais um aspecto foi o manifesto de quem divulgou os emails. O autor dizia: “Segue uma seleção randômica de email, documento e códigos. Espero que isso dê alguma perspectiva da ciência e dos homens por de trás dela.”.

Para mim está mais que claro que foi o caso de algum cientista que discordava dos métodos adotados pelo Sr. Jones e equipe.

O jornalista também afirma que o Sr. Jones foi inocentado. A suposta inocência do Sr. Jones é baseada em uma lavanderia. A única intenção dos processos foram lavar a reputação do Sr. Jones e com ela toda a teoria do aquecimento global, a despeito de todas as evidências científicas. A Global Warming Policy Foundation que é um Think Tank (cujo o autor coloca na categoria de coisas ruins, más, feia e boba) emitiu recentemente um relatório  que dizia entre outras coisas que:

“A falta de imparcialidade manisfestou-se de diferentes maneiras durante as investigações sobre os cientistas do CRU e suas críticas. Enquanto as justificativas do CRU eram aceitas sem nenhuma verificação séria, eram negadas às criticas a oportunidade de responderem e de demonstrarem as falsas alegações”.

Resumindo: foi uma tremenda forma de lavar reputações. Inclusive da revista Nature, essa mesmo onde o Sr. Jones concedeu a entrevista. A Nature é uma das revistas que aparecem nos emails como uma das publicações que ajudavam ao Sr. Jones na disseminação de suas ideias como se fossem a verdade única. Ela fazia isso recusando sistematicamente qualquer trabalho científico que contrariasse a ótica do CRU (e ao fazer isso, juntamente com outras publicações passavam a errada noção de que todos concordavam com a matéria e de que poucos cientistas discordavam de Jones como veremos a seguir).

O jornalista prossegue:

“O abatimento de Phil Jones mostra como o pesquisador médio está mal preparado para enfrentar a guerrilha movida pelos “céticos do clima”, que defendem que o aquecimento causado pelo homem não existe”.

Aqui falta o jornalista colocar uma auréola na cabeça de Jones. Chamar Jones de “cientista médio” é sacanagem. É forçar muito a barra. Jones é um dos cientistas mais importantes no assunto. Comandava uma das quatros instituições que mandavam e desmandavam na ONU em relação ao assunto. E de que guerrilha ele está falando? O simples fato de pessoas discordarem sobre um assunto e exporem os erros, as falcatruas, as negociatas de cientistas é chamado de guerrilha?

Mais uma coisa: a premissa do jornalista está errada. As pessoas que não defendem que “o aquecimento causado pelo homem não existe”. Isso é mais uma invenção típico daqueles que querem colocar frases na boca dos outros. O que os céticos defendem que o aquecimento antropogênico, isso é, o aumento da media GLOBAL das temperaturas não é relacionado a quantidade de carbono na atmosfera. Qualquer um que discorde das opiniões do Sr. Jones poderá afirmar sobre as ilhas de calor, que são aumento de temperatura causada pelo calor emitido por cidades principalmente. Há uma enorme diferença entre os assuntos.

Agora vem a parte de que mais gosto:

“Eles têm por objetivo central plantar uma semente de dúvida na ciência do clima, no que são auxiliados pelas incertezas inerentes à atmosfera”.

Qualquer cientista que se preze, qualquer um que queira seguir a carreira da ciência sabe, ou deveria saber é que não existe verdade incondicional. A mentira do jornalista baseia-se na falsa premissa de que os céticos querem “plantar uma semente da dúvida na ciência do clima”. É lógico! Isso é ciência! Ciência não é chegar a conclusões por aclamação ou por popularidade. Baseia-se em evidências, em fatos científicos. Não é culpa dos céticos que tanto as evidências quanto os fatos científicos desmentem os cientistas do CRU.

A matéria do jornalista Marcelo Leite é cheia de desinformação, opiniões pessoais, carregada ideologicamente. Adota falsas premissas e mentiras como fato. Coisas que poderiam ser desmascaradas em dois minutos de pesquisas sérias.

Pelo menos há algo de bom. Os poucos comentários sobre a matéria no site da Folha de São Paulo demonstram que as pessoas não mais se deixam levar por esse tipo de panfleto travestido de matéria jornalística.

O prêmio Nobel está perdendo credibilidade?

setembro 1, 2010 4 comentários

O Prêmio Nobel sempre foi encarado pelo mundo como um dos prêmios de mais alta credibilidade. Os velhinhos de Oslo sempre tiveram um enorme cuidado em agraciarem o referido prêmio. Mas nos últimos anos, várias controvérsias surgiram com alguns premiados. Principalmente três deles: Obama (Paz), Al Gore (Paz) e Paul Krugman (Economia). Tirando os prêmios de Obama e Gore que poderia ser subjetivos, o de Krugman foi dado em uma categoria científica.

Porém até mesmo uma análise superficial desses recebedores demonstra uma série de argumentos que suportam que os prêmios foram concedidos por decisões políticas, evidenciando uma mudança no estilo das concessões dos prêmios.

Obama é o caso mais explícito. Segundo a academia, Obama foi merecedor do prêmio pelos “sinais positivos” em direção à paz. Trocando em miúdos: foi agraciado por algo que a academia espera que ele faça e não por algo que ele realmente tenha feito. Não estou dizendo que Obama seja um war freak, não é isso. Apenas que é algo bem estranho um Nobel ser dado para alguém que não fez nada além de falar.

O caso de Al Gore é bem diferente de Obama. Al Gore é simplesmente um charlatão. Um político bem habilidoso, que soube aproveitar muito bem das mentes fraquinhas de um espectro político órfão dos ditames da antiga URSS e criou (ou deu impulso) uma nova forma de comunismo: o ecoterrorismo. Sua propaganda política e comercial travestido de documentário recebeu também um Oscar. O fato de quase 100% do que foi apresentado em seu filme ter sido desmascarado pouco depois não inibiu à Academia a dar a Gore o prêmio.

Gore nada mais é que um empresário que utiliza o medo e a falácia para ganhar dinheiro. E se aproveita muito das mentes fracas que falei acima. Conseguiu perceber que os ecochatos e ecobobos não procuram evidências por si mesmas, preferem acreditar no que é dito por outras pessoas principalmente aquelas que colocam frases tão vazias quanto bonitas em seus panfletos.

O resultado dois anos depois? O Painel do IPCC, que dividiu o prêmio com Gore, foi duramente criticado e atingido por escândalos ocorridos como manipulação de dados, notícias e trabalhos científicos fraudulentos, subornos, chantagens e etc. Gore também não escapou. É acusado de usar seus discursos e trabalhos para promover suas empresas de “soluções energéticas”.

O caso do prêmio a Paul Krugman é diferenciado, pois recebeu em uma categoria científica. Krugman é um economista que, dificilmente, pode ser associado com a genialidade de Heyke, Friedman e outros. Porém, e justiça seja feita, tem muitos méritos em seu trabalho. Talvez um dos maiores deles é conseguir transformar a economia em algo inteligível a leitores leigos, coisa que poucos conseguem fazer.

O problema com Krugman é que nos últimos dez anos ele se afastou totalmente da academia, tornando-se, apenas, um partidário político e migrando do campo científico para o campo ideológico. Suas colunas são de uma pequenez cientifica tremenda. Não é difícil encontrar colunas que se desmentem, erros básicos de economia, ataques políticos/partidários e etc. Krugman hoje é a ponta de lança do partido Democrata no NYT. Seu prêmio deu um sinal de alerta para que a academia de Oslo hoje dá mais importância a questão política/partidária que a científica e isso é bastante ruim para um prêmio que sempre prezou por sua pureza científica.

=====================

Atualização

No dia 1 de Setembro um homem armado invadiu a sede da Discovery Communications nos Estados Unidos. O homem, identificado como James J. Lee afirmava que carregava consigo explosivos. O que Lee queria? Simplesmente que a Discovery passasse programas para “advertir sobre a superpopulação do planeta”. Lee afirmava em um manifesto que “o mundo não precisava de seres humanos”. Segundo o agressor, ele teve um “despertar quando assistiu o filme de Al Gore”.

A polícia confirmou que o homem foi morto na operação. Nenhum dos três reféns foi ferido.

Entendem agora quando falo de pessoas de mente fraca serem manipuladas por charlatões? Não é de agora que Al Gore e outros como Dr. Jim Hansen da NASA (outro que abdicou o posto de cientista para se transformar em político) têm incentivado a violência travestida de desobediência civil. Era questão de tempo que uma pessoa fosse ao extremo.

Resposta ao PAX

maio 6, 2010 7 comentários

Há uma tremenda quantidade de desinformação proposital sobre esse assunto. Inicialmente devemos separar o joio do trigo.

Quando essa confusão toda começou, principalmente com o panfleto travestido de documentário do Al Gore o termo usado era Aquecimento Global. Quem viu o panfleto viu um monte de dados supostamente científicos, tivemos a certeza que iremos arder na chama do fogo de nossa presunção.

Pois bem, como bom cético, comecei a estudar o assunto. Basicamente a alegação dos alarmistas é de que há uma relação DIRETA entre a quantidade de carbono na atmosfera e o aumento da temperatura na Terra. Acho que não há dúvida entre ninguém que esse é o mote dos alarmistas.

A coisa começou a feder quando foi apurado que mesmo com a quantidade de carbono na atmosfera aumentado, a temperatura média parou de subir em 1998. Pior, desde 2000 a temperatura no planeta tem caído. Medições feitas por satélites disponíveis a TODOS na Internet.

Por outro lado, muitos dos dados usados pelos alarmistas são conseguidos através de medições feitas por estações em terra. Agora vejam as imagens abaixo.

Notem a proximidade do Ar Condicionado

 

Notem a saída do exaustor

 

Muitos dos termômetros usados são instalados (propositalmente?) próximas a saídas de ar condicionado e/ou exaustores. Não é preciso ser um gênio para entender que isso irá distorcer os dados gerados por esses aparelhos.

Como afirmei a partir do ano 2000 as temperaturas médias na Terra não só pararam de crescer como começaram a cair. Isso colocou por terra o termo Aquecimento Global apesar de muitos ainda, depois de toda propaganda continuar a utiliza-lo. O novo mote se tornou Mudanças Climáticas, algo muito mais abrangente. A Climatologia é uma ciência muito nova, sabemos muito pouco a respeito da dinâmica do clima no planeta. Veja bem, uma das confusões que se faz é misturar Clima com Tempo. São duas coisas bem diferentes. E porque mudar o termo? Justamente porque ele é tão abrangente que cabe qualquer coisa.

Como os dados coletados e até mesmo as provas empíricas estavam contra os alarmistas (por exemplo, em seu panfleto Al Gore de maneira bem cafajeste usou o Katrina para provar o “mal” que o ser humano estava fazendo. Previu que na próxima temporada de furacões o número assim como a intensidade seria muito maior. O que aconteceu foi que não houve nenhuma mudança nem na quantidade e muito menos na intensidade dos furacões. Voltarei ao assunto Katrina depois), decidiram mudar para Mudanças Climáticas.

Ora, qualquer um que já abriu um livro de história sabe que SEMPRE houve Mudanças Climáticas no Planeta. A verdade é que o normal no planeta é haver constantes Mudanças Climáticas. A Terra já foi mais quente do que é hoje, já foi mais fria do que é hoje, já teve uma quantidade maior de carbono na atmosfera do que tem hoje. Gosto muito de usar o exemplo da Groelândia que em inglês é chamada de Greenland, ou se Terra Verde. Atualmente é difícil de ver partes verdes na Groelândia, é praticamente um bloco de gelo. Mas quando os vikings a colonizaram era uma terra fértil. Com o passar do tempo devido às mudanças no clima a Groelândia ficou muito fria e os vikings tiveram que sair de lá. Há outros exemplos de como o clima e suas mudanças alteraram o curso da história da humanidade. A Revolução Francesa aconteceu durante uma seca europeia que dizimou os estoques de alimentos. A peste bubônica também aconteceu durante uma era de aquecimento na terra, já que a quantidade de alimentos não era suficiente para os roedores e as pulgas que carregaram o patógeno procuravam humanos, transmitindo assim a doença. Em compensação o clima mais quente na Europa permitiu que a Inglaterra se desenvolvesse, cultivasse uvas até no norte do país.

A minha intenção agora foi: a) mostrar que a teoria de Aquecimento Global Endógeno (causado pelo homem) nem de longe é um fato científico e b) que Mudanças Climáticas são fatos corriqueiros no Planeta Terra e não algo inesperado ou manipulado pelo ser humano.

Mas e aí? Será que o ser humano não possui nenhuma parcela nisso tudo? Possui, e muito. Aqueles que costumam criticar os céticos dizem que “eles não querem fazer nada”, que “são aliados a indústrias poluidoras”. Isso está muito longe de ser verdade. A questão toda é o foco.

Ao culpar o ser humano pelo aquecimento global e eleger um vilão – o carbono – acontece um desvio de trilhões de dólares para programas e para toda uma nova indústria de troca de créditos de carbono. Perceberam o truque? Mas onde está a responsabilidade do ser humano?

Está em toda a parte. Nos rios assoreados, nas lagoas poluídas, nas construções nas encostas, na poluição jogada no ar, no uso indiscriminado de agrotóxicos, na pesca predatória.

Voltando ao Katrina, vocês acham que o desastre de Nova Orleans causado por um furacão que atingiu a costa na categoria um ou por conta da falta de manutenção dos diques? Bush afirmou que ninguém esperava que fossem rompidos, porém vários relatórios já demonstravam que a situação dos diques era precária.

Vocês acham que a culpa das enchentes em SP e no Rio é da chuva ou da falta de planejamento urbano que cobre toda a cidade com asfalto impedindo que a água penetre no solo ou na falta de ordenamento que permite construções ilegais nas encostas no Rio?

É dessa forma que o ser humano altera a geografia. Não o clima. Tijuca, bairro onde moro no Rio de Janeiro, significa lamaçal em Tupi. Os índios bem antes da chegada dos portugueses já sabiam que era uma área que costumava alagar. Há alguma novidade para alguém que é um dos bairros mais atingidos pelas chuvas?

Não é verdade que os céticos acham que nada deva ser feito. A questão é o foco, o direcionamento dos recursos a serem gastos. O direcionamento dos nossos impostos. Será que continuaremos a subsidiar energia eólica quando essa já se mostrou incapaz de entregar aquilo que promete? Ou será que vamos gastar dinheiro desenvolvendo unidades nucleares menores e mais seguras (algo que já está sendo feito)? É esse debate que deve existir, sem o alarmismo e o medo que tentam incutir nas pessoas com o único motivo de ganhar dinheiro. E por isso o assunto é sim político, pois política e economia andam de mãos dadas.

Vai um cigarro aí?

maio 5, 2010 2 comentários

Você escolheria o presidente de uma empresa fabricante de cigarros para avaliar o trabalho de um cientista que “provou” que o cigarro não faz mal à saúde? Pois fizeram exatamente isso. Com a clara intenção de lavar a reputação dos cientistas do Climategate, a universidade aos quais pertencem escolheu não só alguém que acredita nas teorias desenvolvidas no CRU (Centro de Pesquisa do Clima), mas que também possui grandes interesses na manutenção do suposto (e irreal) consenso sobre o Aquecimento Global Antropogênico (AGW em inglês). O nome dele é Lord Oxburgh. Ele declarou que é ligado a empresas de energia eólica e de energia renovável. Ele mesmo afirmou isso. Admitiu, também, que é Conselheiro do Climate Change Capital, que administra um fundo de US$ 1, 5 bilhão, esperando para ganhar muito dinheiro com o comércio de carbono. Indústria essa que o próprio fundo admite ter um potencial de US$ 45 trilhões. Entendem agora porque a General Eletric está apoiando a legislação de carbono de Obama? Pelo mesmo motivo que as ações das empresas de seguro saúde e farmacêutica nos EUA subiram exponencialmente após a assinatura do Obamacare.

O sabão em pó preferido dos Cientistas Alarmistas. Lava mais branco.

 Mas o pior ainda está por vir. O que o Lord Oxburgh não divulgou é que ele é diretor e vice-presidente de uma obscura companhia chamada “Global Legislators Organisation for a Balanced Environment”. A empresa se auto intitula uma “rede de lobbies global para que governos tomem atitudes mais enérgicas (traduzindo: mais dinheiro) no assunto de mudanças climáticas”. Não se pode dizer que não possui conexões importantes. Na desastrada e caríssima conferência em Copenhagem, seu seminário teve a presença de pessoas como Nancy Pelosi, a autoritária Presidenta da Câmara de Deputados dos Estados Unidos, e não por coincidência uma das maiores incentivadoras da legislação de carbono que irá enriquecer muitas pessoas (menos os contribuintes, eles vão pagar, é claro).

 O Presidente Internacional da Empresa é nada menos que Stephen Byers, membro do Partido Trabalhista Inglês e que recentemente declarou que seria “igual  a um taxi de aluguel, com tarifa de 5 mil libras por dia para fazer lobby” . Além de Byers, fazem parte da empresa outros dois outros membros do Parlamento Britânico: Elliot Morley, ex-presidente da Global e David Chaytor. Ambos são conhecidos agora por estarem sendo investigados pelo mau uso de verbas públicas. Não preciso dizer que ambos são do Partido Trabalhista.

 Olhando as credenciais não é difícil dizer por que o Sr. Oxburgh aceitou o papel de presidente da comissão. E nem mesmo comentei dos outros selecionados. Da mesma forma que os cientistas do CRU selecionavam os dados que mais lhe conviam para gerar os fantásticos e tenebrosos gráficos sobre o fim da civilização (essa prática é conhecida com Cherry Picking ), a Universidade de East Anglia escolheu muito bem as pessoas para participarem do suposto “independente” inquérito. O resultado já saiu. Em apenas um dia de audição a comissão não achou absolutamente nada que desabonasse a conduta dos cientistas. Apenas fez uma ressalva quanto à destruição dos dados sobre as pesquisas (com a clara intenção de impedir o peer rewiew, que é a análise do trabalho científico por outros cientistas independentes). Tudo em casa. Tudo na boa.

 Vai um cigarro aí?

Vigarista do Ano de 2009: Rajendra Pachauri – Chefe do IPCC da ONU

fevereiro 5, 2010 Deixe um comentário

O número 1 do IPCC, o Painel para Mudanças Climáticas da ONU, ganhou u prêmio de vigarista do ano por este Blog. Apesar de todos os escândalos sobre manipulações de estudos, que deveriam ser científicos, mas só tinham como intenção de corroborar a tese de aquecimento global antropogênico, o Sr. Rajendra Pachauri, ganhador do Prêmio Nobel continua sua saga para colocar goela abaixo a teoria do AGW (antrophogenic global warming).

Vigarista do Ano de 2009

O principal motivo para isso é econômico. O Sr. Rejandra ganha muito dinheiro enganando governos e empresas com suas mentiras. O último escândalo se deu por conta do suposto desaparecimento dos glaciais do Himalaia em 25 anos. Segundo o Sr. Rajendra e seu IPCC os glaciais himalaicos estavam fadados a desaparecer. Essa conclusão, dizia, foi resultado de um “estudo cientifico”. A verdade era que o tal estudo científico nunca existiu e o caso do Himalaia foi extraído em um artigo de jornal que citava uma entrevista feita por telefone com um cientista que deixou claro que era apenas uma suposição. O governo da Índia reagiu prontamente, ameaçando a se desligar do IPCC por conta das mentiras contadas pelo órgão da ONU.

Os indianos sabem que há muito em jogo nessa história toda e sabe que o IPCC não passa de uma arma política para satisfazer a sanha monetária de alguns espertalhões como Al Gore, George Soros e outros barões doidos para negociar como cap and trade (comércio de créditos de carbono).

Motorista particular... Que chique!

Mais um motivo é que o Sr. Rejandra não faz aquilo que prega. Um jornalista ficou uma semana seguindo o chefão do IPCC e descobriu coisas interessantes, como apesar de morar a menos 2 km de sua residência avaliada em 4,5 milhões de libras, o Sr. Rejandra prefere fazer o trajeto não andando e nem mesmo de bicicleta como ele apregoa, mas sim a bordo de um Toyota com motorista particular. E isso apesar de possuir uma frota de três carros elétricos que ficam pegando poeira na garagem.

Depósito de Poeira

Muitas outras questões pairam sobre os ombros do nosso Vigarista do Ano de 2009, como seus negócios que incluem bancos, empresas de óleo e energia e fundos envolvidos no comércio de crédito de carbono. Alguém aí falou em conflito de interesses?

Então por todos esses motivos, por mentir descaradamente para o mundo – com a anuência da maioria da imprensa mundial -, por não realizar aquilo que ele recomenda a outros, por suas negociatas e muito mais o Sr. Rejandra Pachuari, chefe do IPCC da ONU tem a honra (duvidosa) de ser eleito o nosso Vigarista do Ano de 2009!

Em defesa dos céticos

dezembro 12, 2009 3 comentários

Tenho estudado o assunto “Aquecimento Global” durante anos e sempre estive ao lado de céticos. Para mim não há espaço para consenso na ciência. Acreditávamos que a Terra era o centro do Universo, acreditávamos que a Terra era estática e o Sol gravitava em torno do nosso planeta. Foram céticos como Copérnico e depois Galileu Galilei que desafiaram o consenso da época descobrindo maravilhas sobre o universo. E isso aconteceu com todos os grandes cientistas da estirpe de Newton, Darwin e Einstein.Todos eram céticos. Todos desafiaram o “consenso” de suas épocas. Alguns foram excomungados, ameaçados, desgraçados por sua ciência.

A noção de que os céticos não querem fazer absolutamente nada está errada. Os céticos acreditam que o papel da boa ciência serve para que decisões sejam feitas embasadas em dados científicos sérios. Acreditam que o carbono não é o responsável pelo aquecimento global. Isso não quer dizer que nada deva ser feito. O homem sim muda o ambiente em que vive. Construímos cada vez mais cidades, asfaltamos cada vez mais ruas, destruímos cada vez mais as margens de rios e lagoas, represamos rios, modificamos geografias que existem em milhões de anos. Isso causa uma mudança na relação entre o homem e a natureza e porque não, com o clima. Cidades são conhecidas com ilhas de calor.

O que os céticos combatem é a noção de que inibir a presença do carbono na atmosfera resolverá o problema do aquecimento global. Isso é errado. Os impactos do aquecimento global não serão medidos em aumentos em graus e sim nas consequências de fenômenos naturais que hoje, e sempre, foram parte de nosso planeta. Quando os vikings colonizaram a maior ilha do planeta e lhe deram o nome de Greenland, o fizeram pois essa ilha era verde e não o deserto branco de hoje. As temperaturas na época eram maiores que as atuais. Quando a neve começou a cair, tiveram que abandonar Greenland. Foi o aquecimento global o responsável por isso? Seria os vikings responsáveis pelo primeiro aquecimento e depois resfriamento do mundo? Será que os vikings param de lançar carbono na atmosfera para que as temperaturas caíssem?

Não haverá mais ou menos alagamentos por conta do aquecimento global. Mas haverá mais alagamentos pois cada vez mais impermeabilizamos os solos das cidades com asfalto. Haverá mais alagamentos pois cada vez mais causamos o assoreamento dos rios pela destruição de suas margens.  Haverá mais desastres porque construímos ilegalmente nas encostas. A tragédia de Nova Orleans foi causada pelo ser humano e não por um furação de classe 1.

O maior alerta que os céticos fazem é que estamos gastando bilhões, talvez trilhões em projetos que não resolverão absolutamente nada, onde os reais problemas estão sendo ignorados. É esse o desejo dos céticos, não que nada seja feito.

Atualização: Esse artigo foi publicado na página eletrônica de Opinião do jornal “O Globo”.